Edicões Gambiarra Profana/Folha Cultural Pataxó

sábado, 2 de outubro de 2010

CHUVA


CHUVA

Sempre que a chuva cai
Fica um pouco mais difícil a caminhada
Os pés afundam no barro
A sala perde o assoalho

Fica difícil até mesmo fazer sinal para o ônibus
Rua sem calçada
Tarde sem poeira
Ovo estrelado na frigideira

Olhos molhados por gotas de orvalho
Noite caindo no meio da conversa
Violão podando imagem sem aquela pressa

Canções que refrescam a alma
Palavras soltas ao acaso
Fragmentos de beijos e poesia
Esquecidos no dia a dia

Visite os blogs parceiros dos grupos de poeisa que participo

www.myspace.com/gambiarraprofana
http://po-de-poesia.blogspot.com
http://ccdonana.blogspot.com
http://gambiarraprofana.blogspot.com
http://galeriadeartesbutterfly.blogspot.com
http://umcoracaoqueama.blogspot.com
http://emaranhadorufiniano.blogspot.com
http://fabianopoe.blogspot.com
http://artemundogabriela.blogspot.com
http://minhaalmaepoesia.blogspot.com
http://chicletesalgado.blogspot.com
www.dudida.com.br
www.arnoldopimentel.recantodasletras.com.br
www.silviah.net

7 comentários:

  1. Lindo poema!
    Seu trabalho tem algo diferente, escreve de uma forma que consegue nos fazer sentir sua poesia..
    através dela consigo perceber aromas...sons, emoções, consigo sentir...
    Parabéns Arnoldo, seu trablho é excelente1
    Tudo de bom para você.

    Um grande abraço.

    Marion

    ResponderExcluir
  2. Assino embaixo ao que Marion Lemos disse... gostei muito.
    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Poxa, ficamos mesmo sem palavras ao ler. Imersos porque é gostoso de ler o que escreve.
    Só sei que me senti muito bem ao ler esse poema.
    Tenho que concordar tmb com o Marion. Cheiros, sentimentos, aromas.
    bjsssssssssss

    ResponderExcluir
  4. Olá Arnaldo,

    Os teus poemas são hinos!!!

    Muita paz e alegria

    ResponderExcluir
  5. O meu reino da noite gostaria de te oferecer um selinho para o teu blog fantástico! :)

    Podes copiar o selo e ver as regras AQUI.

    Beijinhos e tudo de bom *

    ResponderExcluir
  6. "A guerra, a princípio, é a esperança de que a gente vai se dar bem; em seguida, é a expectativa de que o outro vai se ferrar; depois, a satisfação de ver que o outro não se deu bem; e finalmente, a surpresa de ver que todo mundo se ferrou". (Karl Kraus)


    "A poesia é o eco da melodia no universo do coração dos humanos." (Rabindranath Tagore)

    Obrigada sempre pelo seu
    carinho...
    Perdoe-me o silêncio...

    Bjs
    Livinha

    ResponderExcluir
  7. Parabéns pela bela poesia. Parabéns pelo Blog
    Morris

    ResponderExcluir