Edicões Gambiarra Profana/Folha Cultural Pataxó

segunda-feira, 25 de julho de 2011

MEDO



Ficou apenas o medo entre
As quatro paredes brancas
Totalmente brancas
O corpo nu e torturado
Com a alma violada
Ficou esperando
O anjo vir lhe buscar
Assim terminaria sua sina
Que começou
E se acabou
Quando quis ser livre
E poder voar

19 comentários:

  1. Poema duma sensibilidade imensa, magnificamente ilustrado pela tela de van gogh.

    beijos
    oa.s

    ResponderExcluir
  2. Arnoldo
    Achei denso o poema e lindo... Bjkas e uma linda semana!

    ResponderExcluir
  3. Há espíritos tão sensíveis e delicados que já ao nasceram só esperam o momento de novamente poder voar. Belo poema. Bjs! A.

    ResponderExcluir
  4. Muito lindo o poema, de palavras marcantes, parabéns querido!

    Beijocas

    ResponderExcluir
  5. É poeta tudo já foi dito sensível, marcante, denso, imenso e nele encontro muito mais além sentimentos da minha percepção aplaudindo teus versos. Belo poema com certeza!

    ResponderExcluir
  6. "Ficou apenas o medo, esperando o anjo vir-lhe buscar"...
    Lindo, mas achei muito triste, amigo.
    Abraços pra ti, da Mery

    ResponderExcluir
  7. Arnoldo
    Muito obrigado pela sua presença em meu cantinho.
    venho algumas vezes aqui, mas não deixo rasto.

    Adorei este poema de medo.
    Poema intenso, um pouco triste, talvez a resposta estará na palavra "medo" .
    Beijo

    ResponderExcluir
  8. Oi, Arnoldo
    Passei pra te deixar um abraço e te desejar uma ótima semana! E parabéns pelo dia 25, Dia do Escritor, pois você tem talento de sobra!!!

    ResponderExcluir
  9. Peguei emprestado as palavras da Martha Medeiros

    "Medo não existe. Medo é uma desculpa."

    Beijo

    ResponderExcluir
  10. Poema muito intenso, Arnoldo!
    Beijinho

    ResponderExcluir
  11. Sensacional Arnoldo.
    Reflexivo e tocante.
    Um fraterno abraço.

    ResponderExcluir
  12. Van Gogh e um poema intimista e belo !
    Um Abraço

    ResponderExcluir
  13. Arnoldo
    Estarei "fora do ar" até dia 1º de agosto, quando virei com novidades na coluna da direita, uma vez que é virada de mês. Me aguarde! Eventualmente, se for possível, postarei alguma texto interessante, mas as idas aos blogs de meus queridos amigos, só terei condições para fazê-las na segunda-feira. Beijos e até a volta!!!
    http://amadeirado.blogspot.com
    http://alemdasnuvens2011.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. um otimo blog, parabéns :D
    estou te seguindo se puder passa do meu blog para conhecer :*

    ResponderExcluir
  15. Forte mas lindo como tudo que vc escreve!

    Um beijo de sua admiradora!

    ResponderExcluir
  16. é... na maioria das vezes é isso que acontece... como se o homem nao tivesse direito de voar... pode ser, porque nao? quem precisava voar Deus lhes deu asas...bjuuu

    ResponderExcluir
  17. Meu amigo

    Um poema nostálgico mas cheio de beleza, adorei e deixo um beijinho.

    Sonhadora

    ResponderExcluir
  18. As vezes o medo nos transforma em vitimas compactadas a solidão.Bjos achocolatados

    ResponderExcluir
  19. Ás vezes ficamos esperando que um anjo venha nos buscar...

    Nua olhando as paredes brancas...

    Beijos no coração (obrigada a retribuição da visita)

    ResponderExcluir