Edicões Gambiarra Profana/Folha Cultural Pataxó

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

PIPAS COLORIDAS SOLTAS NO CÉU


Tenho folhas escurecidas para soltar no vento
Escurecidas pelo tempo
Que andei brincando de pular as cordas
Que escondiam o pólen das flores que queriam amar
Antes que a primavera pudesse chegar

As pipas coloridas que estão soltas no céu
São apenas enfeites que camuflam
A tristeza que está no olhar daqueles que não tem a quem amar
Que não tem um carinho durante a noite fria
Que não tem um soluço para secar

Tenho estrelas que querem sorrir na noite
Mas a claridade do sol ainda está distante
Do pólo norte onde se encontram meus sonhos
Meus sonhos não são azuis como o infinito
Sonho apenas em tentar conter meu grito

Em tentar encontrar a solidão vazia
Para onde poderei partir
Sair sem me despedir
Desaparecer com as folhas escurecidas
Que soltarei no vento
Para evaporar nas frestas do tempo


Estou sendo entrevistado no blog da Anne Lieri, se puder faça uma visita e conheça um pouco do meu trabalho, desde já lhe agradeço, link abaixo

15 comentários:

  1. Solta folhas ao vento,
    no tom de sépia
    aquecidas no intenso sol
    em ti

    Abraço, Arnoldo!

    ResponderExcluir
  2. que segredos sabe o vento?
    sempre quero sumir no vento.

    como sempre adoro suas palavras Arnoldo.

    ResponderExcluir
  3. Belíssimo!!parabéns...
    beijinhos...

    ResponderExcluir
  4. Infelizmente, amigo, a maioria das pessoas tem tantos problemas e aflições, que nunca olham para o alto e assim não veem as pipas, as núvens, o azul do céu...Bonito poema, Arnoldo. Um beijo!

    ResponderExcluir
  5. Tenho estrelas que querem sorrir na noite
    Mas a claridade do sol ainda está distante.

    muito lindo,

    ResponderExcluir
  6. Oi Arnoldo
    Ainda nao havia conhecia "Palavas ao Vento".
    Gostei do espaço poético.
    Impossível ficar indiferente a brincadeira de soltar pipas nao?
    bonita poesia.
    mando abraços

    ResponderExcluir
  7. Ai migo, sei que ser só no amor não é bom, mas ainda temos chance enquanto formos vivos. A pior solidão é se deitar com alguém e ele não existir dentro da gente, assim é melhor ficar sozinho do que não amar quem nos ama.

    ResponderExcluir
  8. As pipas entendem de céu Arnoldo!
    Boa noite!

    ResponderExcluir
  9. Andei visitando esse céu cheio de pipas de cor, de estrelas e de sol...gostei! Lentamente irei vendo o que já foi publicado.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  10. Belo demais amigo e poeta Arnoldo, parabéns!

    ResponderExcluir
  11. Meu querido amigo

    Como sempre aqui mora a poesia, adorei este poema.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  12. Um poema lindo que me comoveu...
    Beijinho

    ResponderExcluir
  13. Fechas esse domingo,com chave de ouro em nossos corações poeta caríssimo e amigo terno e inesquecível!

    hugs

    viva la vie

    Regina e Ricardo

    ResponderExcluir
  14. Amigo Poeta.
    Fiquei encantada com sua poesia linda e comovente.
    Eu imagino o quanto deve ser lindo seus livros
    amigo poeta .
    Parabéns Deus te abençoe sempre.
    Evanir..

    ResponderExcluir
  15. Vim lhe fazer um convite:visite o blog do EDU
    Rima blog eu te dou uma flor
    Aqui todos são bem vindos, cujo tema é: rimar, respeito, amar, e fé. satisfeito, pensar, sorrir, perfeito, desejo, feito por si.http://rimablogeutedouumaflor.blogspot.com/

    ResponderExcluir